Como é a abdominoplastia sem dreno?

Abdominoplastia é uma cirurgia plástica realizada para retirar o excesso de pele, gordura localizada e recuperar a firmeza dos músculos da região abdominal. Esse procedimento também consegue remover as estrias localizadas na região onde é realizada a remoção de pele.


Indicações da abdominoplastia


A abdominoplastia não pode ser considerada como um tratamento à obesidade ou uma alternativa para substituir uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos.


Pacientes cuja musculatura da parede abdominal é muito fraca, a costura realizada durante a cirurgia pode ficar comprometida, uma vez que os músculos não são estabilizados tão facilmente.


Mesmo com a musculatura fraca, a plicatura dos músculos retos abdominais fornece a correção da diástase e estabilização da parede abdominal. Musculatura fraca não contra indica o procedimento, pelo contrário, é mais um fator para se indicar.


Em geral, a abdominoplastia é bastante requisitada por mulheres que tiveram múltiplas gestações, pessoas que geneticamente possuem acúmulo de gordura na região da barriga ou quem teve perda substancial de peso.


O que esses pacientes têm em comum é o desenvolvimento de flacidez da pele, depósitos de gordura e estrias na região da barriga. Além da diástase (afastamento) dos músculos retos abdominais, principal indicação desta cirurgia.


Como funciona a cirurgia de abdominoplastia?


O cirurgião plástico vai avaliar o abdômen do paciente, verificando a quantidade e a localização dos acúmulos de gordura, excesso de pele ou diástase dos músculos do abdômen. Normalmente, a abdominoplastia requer duas incisões:


- A primeira é horizontal na região logo acima dos pelos pubianos que se estende até próximo dos quadris, levemente curvada para cima. A extensão dessa incisão e a forma variam conforme a quantidade de pele a ser removida.


É feita uma marcação em elipse, em que a primeira incisão se faz na parte inferior. Não tem incisão vertical. De acordo com a elipse marcada é que se faz a retirada da pele.


- A segunda incisão é feita na vertical, finalizando ao redor do umbigo, por onde os excessos de pele da parte superior do do abdômen são separados das partes profundas.

Aqui se faz um descolamento subcutâneo expondo os bordos da musculatura do reto abdominal. Nesse momento os músculos abdominais são suturados para

que se tornem mais rígidos, o que irá proporcionar uma barriga mais plano e uma cintura mais definida.


Essa pele em excesso é esticada para baixo para que seja removida e é feito um orifício para recolocar o umbigo em sua posição de origem.


Após a cirurgia, podem ser colocados drenos de aspiração no abdômen, para evitar o acúmulo de líquidos na região abdominal. Esses drenos são inseridos na parte inferior da barriga, próximo ao púbis, permitindo que a cicatriz seja disfarçada entre os pelos pubianos, mas nem sempre são necessários.


Normalmente os pacientes podem ser liberados para casa com os drenos, que são de simples manuseio. Os drenos podem causar desconforto no momento da retirada, que pode ser feita na clínica do cirurgião.


Feito isso, as incisões da cirurgia poderão ser completamente fechadas, resultando em uma única sutura na linha da região púbica e uma dentro do umbigo, e são colocados os curativos e bandagens.


Como é a abdominoplastia sem drenos?


Durante a abdominoplastia pode opcionalmente, ser utilizada uma técnica onde são realizados pontos de adesão com fio de sutura absorvível pelo organismo, onde é feita uma fixação da gordura abdominal na musculatura.


Esses pontos tem como finalidade evitar a formação de excesso de liquido (seroma) e também não ter a necessidade de utilizar drenos no pós-operatório. É recomendado nessa técnica o inicio da drenagem linfática na primeira semana após a cirurgia.


Recuperação da abdominoplastia


Durante um período mínimo de 45 dias, é obrigatório o uso de malha compressora, também conhecida como cinta pós-cirúrgica, de tamanho adequado ao paciente.


Também é necessário evitar esforços físicos, como carregar peso, além de procurar manter-se numa postura levemente curvada durante os primeiros 15 dias.


O paciente deve caminhar dentro de casa com amparo de alguém e evitar subir e descer escadas.


Antes da liberação médica o paciente também não deve dirigir e não pode usar roupas apertadas (roupas íntimas, calças jeans, etc.). É fundamental o cuidado ao sentar-se para não esticar demais o tronco e não se curvar demais para frente.


Exposição ao sol, ao calor excessivo e compressas quentes no local da sutura da abdominoplastia também são proibidos.


O paciente deve seguir todas as orientações até conseguir a liberação médica para retomar a rotina normal aos poucos.


O cirurgião plástico deve prescrever analgésicos para serem usados caso o paciente sinta dor no período pós-cirúrgico. É comum que o paciente sinta incômodos nos primeiros dias, mas isso vai sumindo gradativamente.


Antes de programar qualquer cirurgia plástica, o mais indicado é que você procure um cirurgião plástico da sua confiança, para que ele avalie o seu caso e recomende o melhor procedimento de acordo com as suas necessidades.


Autor: Dr. Marco Aurélio Guidugli - Médico com mais de 16 anos de Experiência formado pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Mestrado na Universidade de São Paulo -USP e mais de 12.000 cirurgias realizadas. Cirurgião Plástico Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Especialista em Cosmiatria, Cirurgias Plásticas Faciais e de Contorno Corporal.


Posts recentes

Ver tudo