Posso engravidar após a abdominoplastia?

A abdominoplastia, também chamada de dermolipectomia abdominal ou simplesmente de plástica abdominal, geralmente consiste na retirada do excesso de pele e gordura localizadas entre a cicatriz umbilical e os pêlos pubianos e tratamento da diástase do músculo reto abdominal.


O que é diástase abdominal?




A diástase do músculo da barriga (reto abdominal) é mais comumente visível na parte do meio da barriga, onde se observa uma abertura ou abaulamento da região, principalmente durante os esforços. Pode ocorrer também na parte superior do abdômen conhecido como “estômago alto”.



Ela ocorre mais comumente em mulheres que passaram por diversas gestações, pois resulta em aumento do útero típico da gravidez, que acaba "empurrando" os músculos abdominais para os lados.


O músculo reto abdominal funciona como duas longas cintas que sustentam a região anterior do abdômen, desde a parte de baixo do osso do peito (costelas) até o púbis (parte do meio da bacia). Quando os dois músculos se distanciam, a parte entre eles fica sem sustentação e acaba abaulando a região.


Esta separação do músculo reto abdominal pode comprometer a estabilidade corporal e a mobilidade, contribuindo para o aparecimento de dor nas costas, comprometendo a postura, além de problemas estéticos.


Contribuem também hormônios da gestação que causam o relaxamento muscular, um bebê grande, gestação de gêmeos ou excesso de líquido amniótico.


Diagnóstico e prevenção da diástase


Além do exame físico realizado durante a consulta médica, o ultrassom e tomografia são exames que auxiliam no diagnóstico e medem com mais detalhes o local e extensão da diástase.


Existem muitos graus de diástase e os tratamentos são sempre personalizados para cada caso. Pode existir hérnia no local da diástase que também pode ser tratada durante a mesma cirurgia.


Infelizmente, não é possível prevenir a diástase, mas manter o espaçamento entre as gestações em pelo menos dois anos e realizar exercícios físicos que fortaleçam a região pode reduzir as chances.


Correção da diástase


A cirurgia consiste num corte transversal no abdome inferior (como se fosse uma cesariana) com descolamento do tecido até o nível do umbigo ou acima se for necessário. Faz-se uma aproximação dos músculos sendo eles fixados com pontos internos.




Esta cirurgia também diminui o volume do abdome e define a cintura da paciente. Nesses casos ela é associada a uma miniabdominoplastia, lipoabdominoplastia ou a uma abdominoplastia clássica.


A gravidez posterior à cirurgia altera o resultado?

Quanto ao resultado, não se pode prever. Como não é possível prevenir uma nova diástase, sempre é aconselhável que você tenha todos os filhos antes de uma cirurgia plástica abdominal.

Antes de programar qualquer cirurgia plástica, o mais indicado é que você procure um cirurgião plástico da sua confiança, para que ele avalie o seu caso e recomende o melhor procedimento de acordo com as suas necessidades.




Autor: Dr. Marco Aurélio Guidugli - Médico com mais de 15 anos de Experiência formado pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Mestrado na Universidade de São Paulo -USP e mais de 11.000 cirurgias realizadas. Cirurgião Plástico Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Especialista em Cosmiatria, Cirurgias Plásticas Faciais e de Contorno Corporal.



Esclareça as suas dúvidas no WhatsApp 11-97796-0848

Agende a sua consulta


25 visualizações

© 2020 Dr. Marco Aurélio Guidugli - CRM-SP 115.842 - RQE 39.781