top of page

Quando fazer uma cirurgia plástica facial?

Quando pensamos em beleza estética e em autoestima, logo pensamos em tratamento cosmiátrico e cirurgia plástica. Afinal, com a evolução da tecnologia e da ciência, os procedimentos estão cada vez mais seguros e proporcionando resultados mais satisfatórios e naturais. Além, de estarem também cada vez mais acessíveis. 

 

No caso do rejuvenescimento facial, as cirurgias plásticas têm sim um papel fundamental, ajudando a atenuar os sinais de envelhecimento, amenizar rugas na testa ou ao redor dos olhos, reduzir queda das sobrancelhas, retirar excessos de pele, entre outros.

 

Claro que não é possível prever com exatidão os resultados de uma cirurgia plástica facial, mas os efeitos são duráveis e uma cirurgia plástica bem executada pode gerar melhora na aparência e na autoestima.

 

Porém, como é comum observamos uma constante busca pelo rejuvenescimento, principalmente entre as mulheres, é preciso entender os limites da cirurgia plástica e analisar as necessidades de cada um.



Há também uma grande quantidade de procedimentos cosmiátricos que proporcionam bons resultados em relação ao rejuvenescimento do rosto, amenizando rugas e marcas de expressão. 


Por isso, é preciso analisar se a cirurgia plástica realmente se faz necessária. E cabe ao cirurgião plástico avaliar a paciente e orientá-la quanto a melhor solução para o seu caso. 


Os tratamentos estéticos, por exemplo, são eficientes no tratamento de rugas finas e manchas, podendo estimular a produção de colágeno, melhorando a elasticidade da pele do rosto e deixando-a mais firme. 


Mas, deve-se recorrer à cirurgia plástica facial no caso em que há excesso de pele ou gordura. Como no caso da bolsa de gordura que se forma na região superior ou inferior dos olhos, devido à flacidez causada pelo envelhecimento e no caso da flacidez na face ou no pescoço. 


A busca por uma aparência jovem é cada vez mais comum, mas é preciso fazê-la de acordo com uma avaliação de cada caso. Por isso, é sempre importante procurar por um profissional e expor as expectativas de resultados que deseja alcançar, para que ele indique a solução adequada, seja um tratamento estético ou uma cirurgia plástica facial. 


Até pelo fato de que a cirurgia plástica moderna deve respeitar a individualidade de cada paciente e o principal foco deve ser sempre a conquista de resultados naturais e indetectáveis. Então, é importante realizar o procedimento quando ele realmente se faz necessário e é o cirurgião que deve orientar a paciente sobre os limites da plástica e sobre os resultados que podem ou não serem alcançados. 


Vale ressaltar também, que os tratamentos estéticos podem ter um papel importante no pós-operatório das cirurgias plásticas para o rejuvenescimento facial, ajudando a manter os resultados. 



Autor: Dr. Marco Aurélio Guidugli - Médico com 20 anos de Experiência formado pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Mestrado na Universidade de São Paulo - USP e mais de 15.000 cirurgias realizadas. Cirurgião Plástico Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Especialista em Cosmiatria, Cirurgias Plásticas Faciais e de Contorno Corporal.

Comments


bottom of page