Abdominoplastia X Renuvion: o que é melhor para a flacidez abdominal?


A evolução tecnológica na área da cirurgia plástica é constante e tem apresentado excelentes soluções para as mais variadas demandas. Quando o assunto é flacidez de pele, por exemplo, um novo recurso chegou ao Brasil recentemente e tem chamado a atenção de cirurgiões plásticos e pacientes de todo o país. Trata-se do Renuvion, um aparelho de radiofrequência que auxilia no tratamento da flacidez da pele.


Afinal o que é o Renuvion?


O Renuvion, basicamente, é um aparelho médico que combina a radiofrequência com o gás hélio. O gás, por sua vez, é ionizado, transformando-se em plasma. O procedimento, então, fornece energia uniforme e controlada, estimulando a produção de colágeno, a partir da aplicação do calor na pele.


O resultado desse tratamento é a retração da pele justamente no local de aplicação do plasma. O Renuvion atua em uma camada logo abaixo da pele, e promove a sua contração, diminuindo a flacidez do tecido. Os resultados do procedimento são visíveis imediatamente, mas a pele pode melhorar ao longo dos meses seguintes.


Quem pode utilizar o Renuvion?


O Renuvion pode ser indicado para qualquer paciente que apresente flacidez de pele de nível leve. A tecnologia pode estimular melhora em casos de flacidez devido à oscilação de peso, gravidez, envelhecimento e hereditariedade.


Qual é o grau de retração de pele que o Renuvion proporciona?


O grau de retração de pele, sem dúvida, proporciona resultados muito satisfatórios, diminuindo a flacidez do tecido de maneira considerável.


No entanto, vale ressaltar: o resultado vai depender da qualidade do tecido do paciente, ou seja, uma pele mais jovem e sem estrias vai retrair muito mais do que uma pele sem essas características. Por isso, não existe um resultado padrão. O grau de retração vai depender de cada pessoa.


Quando fazer a abdominoplastia?


A abdominoplastia não pode ser considerada como um tratamento à obesidade ou uma alternativa para substituir uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos. Normalmente ela é realizada em pacientes com graus maiores de flacidez de pele e da musculatura.

Pacientes cuja musculatura da parede abdominal é muito fraca, a costura realizada durante a cirurgia pode ficar comprometida, uma vez que os músculos não são estabilizados tão facilmente.


Mesmo com a musculatura fraca, a plicatura dos músculos retos abdominais fornece a correção da diástase e estabilização da parede abdominal. Musculatura fraca não contraindica o procedimento, pelo contrário, é mais um fator para se indicar.


Em geral, a abdominoplastia é bastante requisitada por mulheres que tiveram múltiplas gestações, pessoas que geneticamente possuem acúmulo de gordura na região da barriga ou quem teve perda substancial de peso.


O que esses pacientes têm em comum é o desenvolvimento de flacidez da pele, depósitos de gordura e estrias na região da barriga. Além da diástase (afastamento) dos músculos retos abdominais, principal indicação desta cirurgia.


Antes de programar qualquer cirurgia plástica, o mais indicado é que você procure um cirurgião plástico da sua confiança, para que ele avalie o seu caso e recomende o melhor procedimento de acordo com as suas necessidades.



Autor: Dr. Marco Aurélio Guidugli - Médico com mais de 17 anos de Experiência formado pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP, Mestrado na Universidade de São Paulo - USP e mais de 15.000 cirurgias realizadas. Cirurgião Plástico Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Especialista em Cosmiatria, Cirurgias Plásticas Faciais e de Contorno Corporal.

68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo