© 2020 Dr. Marco Aurélio Guidugli - CRM-SP 115.842 - RQE 39.781

CRUROPLASTIA

Lifting de Coxas - Cruroplastia

 

O processo natural do envelhecimento e as grandes variações de peso, influenciados pela ação hormonal, podem gerar depósitos de gordura localizada na face interna das coxas. Além disso, pode haver flacidez de pele no local. Estas alterações podem ter como resultado assaduras e, sobretudo desconforto estético, influenciando nos hábitos de lazer realizados ao ar livre. A cirurgia plástica das coxas, ou dermolipectomia de coxas, visa retirar o excesso de pele, proporcionando um contorno da coxa mais natural e menos flácido.

COMO SÃO AS CICATRIZES?
Em primeiro lugar vale lembrar que nos primeiros meses, a raiz da coxa apresenta uma relativa diminuição de sensibilidade, além de estar sujeita a períodos de edema, o qual regride de forma espontânea. Com o passar do tempo (alguns meses), tendo sido iniciado o processo de drenagem linfática, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. É importante ressaltar que não se deve considerar como definitivo qualquer resultado antes de 12 a 18 meses de pós-operatório. Também deve ser salientado que a correção do excesso de gordura localizada na região depende do tipo físico e volume de gordura localizada. Também é relevante a espessura do panículo adiposo (espessura da gordura) que reveste o corpo. Dependendo do caso, poderá ser associada uma lipoescultura no local junto com a dermolipectomia. O resultado definitivo da dermolipectomia é atingido após 18 meses da cirurgia, período necessário para a acomodação dos tecidos e amadurecimento da cicatriz. A cicatriz resultante de uma dermolipectomia de coxa localiza-se obliquamente na virilha, estendendo-se posteriormente até o sulco abaixo do glúteo, podendo em função do grau da flacidez da coxa, estender-se na face interna da coxa até próximo ao joelho. Ela apresentará maior ou menor extensão dependendo do volume de pele excedente a ser corrigido. O processo de cicatrização enfrentará diversas etapas descritas a seguir: PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia e apresenta-se com aspecto excelente e pouco visível. Alguns casos apresentam discreta reação aos pontos ou ao curativo. PERÍODO MEDIATO. Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período haverá espessamento natural da cicatriz, bem como mudança na tonalidade de sua cor, passando de “vermelho” para o “marrom”, que vai, aos poucos, clareando. Este período, o menos favorável da evolução cicatricial, é o que mais preocupa as pacientes. Como não podemos apressar o processo natural da cicatrização, recomendamos às pacientes que não se preocupem, pois o período tardio se encarregará de diminuir os vestígios cicatriciais. PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente atingindo, assim, o seu aspecto definitivo.


QUAL A ANESTESIA UTILIZADA?
Pode ser a peridural com sedação ou geral.


QUANTO TEMPO DURA O ATO CIRÚRGICO?
O tempo do ato cirúrgico ocorre em uma média de 3-4 horas. Caso seja necessário este período poderá ser prolongado. No entanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de centro cirúrgico. Esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.


QUAL O TEMPO DE INTERNAÇÃO?
Considerando-se evolução normal o tempo de internação é de aproximadamente 24 horas.


PÓS-OPERATÓRIO:
Na recuperação de pacientes submetidos ao chamado lifting crural deve-se lembrar que é necessário permanecer em repouso absoluto por cinco a sete dias, evitando afastar as pernas em demasia. A higiene local deve ser muito cuidadosa durante este período para que sejam evitadas infecções nos locais das incisões. As caminhadas devem ser restritas em seu máximo durante o primeiro mês para que a cicatrização dos tecidos não sofra alargamento. Assim como na lipoaspiração, é recomendada a utilização de cintas apropriadas durante as primeiras 4 a 6 semanas. Quando necessário, os pontos costumam ser removidos após 14-21 dias. As atividades físicas com intenso trabalho de pernas podem ser retomadas após cerca de 3 meses.